domingo, 14 de agosto de 2016

Arte e Vida



Resumo

1)       A palavra ”contemporânea” classifica o que é atual e refere-se também a manifestações artísticas cujas propostas romperam com as características mais comuns às artes até essa época.

2)       Na década de 1960 diversas mudanças culturais, sociais e políticas que influenciaram definitivamente o modo como vivemos hoje e transformaram as artes. Os movimentos sociais que ganharam força nesse momento foram: as lutas pelos direitos dos negros e homossexuais, principalmente nos EUA, o feminismo, o movimento estudantil e as manifestações pacíficas contra guerras, como a do Vietnã, feitas especialmente por jovens do movimento hippie, cujo lema era “paz e amor”. É a década da corrida espacial, da chegada do homem à Lua, dos Beatles, da pílula anticoncepcional... Os movimentos repressivos como as ditaduras criaram um cenário de perseguição, forçando a população a encontrar formas clandestinas de encontrar formas resistência e de expressão.

3)       A  relação arte e público antes dos anos 1960 era de passividade. O artista era possuidor do conhecimento e o público que não possuía esse conhecimento, buscaria entender e contemplar a obra.

4)       A partir dos anos 1960 essa relação mudou, começou a ser questionada, e a arte passou a ser pensada como algo integrada á vida. Muitos artistas não queriam mais a arte restrita ao espaço dos museus, teatro e salas de concerto. A arte passa a ser pensada como própria da vida, do mundo, acontecendo m lugares comuns, não tradicionais, e convidando o público a fazer parte da obra.

5)       O artista plástico brasileiro Hélio Oiticica criou os Parangolés que eram capas, bandeiras ou estandarte que deveriam ser vestidos pelo participador, experimentados.  Quando propôs os Parangolés Oiticica acreditava que o  artista deveria assumir uma postura de propositor, e o público, de participador, numa experiência integrada.

6)       A cor e a forma, elementos da obra bidimensional de Oiticica estão presentes em suas obras interativas.

7)       A relação entre os objetos Bicho, de Lygia Clark e a obra de Oiticica é que os objetos também são manipuláveis, as formas geométricas e desdobram no espaço tridimensional.

8)       Apropriação é o termo é empregado pela história e pela crítica de arte para indicar a incorporação de objetos extra-artísticos, e algumas vezes de outras obras, nos trabalhos de arte. O procedimento remete às colagens cubistas e às construções de Pablo Picasso (1881-1973) e Georges Braque (1882-1963), realizadas a partir de 1912. Nesse momento do cubismo sintético, elementos heterogêneos - recortes de jornais, pedaços de madeira, cartas de baralho, caracteres tipográficos, entre outros - são agregados à superfície das telas. As apropriações, na base das colagens, representam um ponto de inflexão na arte do século XX, na medida em que libertam o artista do jugo da superfície. Desde esse momento, a técnica é largamente empregada em diferentes escolas e movimentos artísticos, com sentidos muito variados. Picasso encontra no novo recurso um instrumento de experimentação inigualável, que tem início com Copo e Garrafa de Suze, 1912.

9)       A  arte conceitual é  um movimento artístico que teve seu auge na Europa e nos Estados Unidos durante a década de 1970. Foi uma espécie de reação ao formalismo da arte, principalmente europeia, da década de 1960. As ideias artísticas da arte conceitual se espalharam pelo mundo, chegando também ao Brasil.

10)    As principais características da arte conceitual são: valorização do conceito e da ideia da obra de arte, que se tornam mais importantes do que o objeto e sua representação física; uso de diversos meios como, por exemplo, performances, instalações artísticas, vídeos, textos e fotografias; forte desenvolvimento da arte ambiental, arte postal e grafite (principalmente em área públicas); ideal de volta do figurativismo (arte figurativa), valorizando a forma humana, elementos da natureza e objetos criados pelo homem; rompimento com o formalismo artístico.

11)      Os  principais artistas conceituais internacionais são: Maurizio Bolognini – artista conceitual italiano;  Barbara Kruger – artista conceitual norte-americana; Joseph Kosuth – artista conceitual norte-americano; Richard Estes – pintor norte-americano, conhecido por suas pinturas hiper-realistas; Chuck Close – artista plástico norte-americano, pintor e fotógrafo fotorrealista; Malcolm Morley – artista fotorrealista inglês; Jasper Johns – pintor, escultor e artista gráfico norte-americano; Robert Rauschenberg – pintor e artista plástico norte-americano; Mike Kelley – artista plástico norte-americano.

12)    Vários elementos da arte conceitual chegaram ao Brasil nas décadas de 1970 e 1980. Neste contexto, podemos observar estes elementos, principalmente, nas instalações artísticas e obras de arte de alguns artistas como: Lygia Clarck, Cildo Meireles, Iole de Freias, Amilcar de Castro e Hélio Oiticica.

13)    Tipos de arte efêmera: instalações, performances e happenings.

14)    A arte efêmera é uma matéria impressa ou escrita, transístora, que não é feita com a intencionalidade de ser guardada ou preservada por longo período. É muito difícil de ser acabada.

15)    Eis exemplos de arte efêmera colecionável: cartões comerciais (trade cards) de propaganda, bookmarks, catálogos, capas de celular, cartões de felicitação (ou de cumprimento), cartas, blusas NM, panfletos, cartões postais, pôsteres, prospectos, certificados de propriedade de ações, tíquetes e fanzines. Baralhos feitos para a Guerra do Iraque com os rostos dos iraquianos mais procurados são um exemplo recente.

16)    Antiarte foi um movimento de vanguarda do séc. XX (Dadaísmo, Pop Art etc.) que valoriza objetos comuns fabricados em série, com desprezo pelos padrões estéticos convencionais.

17)  O Dadaísmo foi um movimento artístico de forte conteúdo anárquico, que surgiu na Europa, na cidade suíça de Zurique, no ano de 1916. A sua principal característica foi a ruptura com as formas de arte tradicionais.

18)   São  características do dadaísmo: objetos comuns do cotidiano são apresentados de uma nova forma e dentro de um contexto artístico; irreverência artística; combate às formas de arte institucionalizadas; crítica ao capitalismo e ao consumismo; ênfase no absurdo e nos temas e conteúdos sem lógica; uso de vários formatos de expressão (objetos do cotidiano, sons, fotografias, poesias, músicas, jornais, etc) na composição das obras de artes plásticas; forte caráter pessimista e irônico, principalmente com relação aos acontecimentos políticos do mundo.

19)  Os principais artistas dadaístas são:  Tristan Tzara, Marcel Duchamp, - Hans Arp,  Julius Evola, Francis Picabia,  Max Ernst, Man Ray, Raoul Hausmann, Guillaume Apollinaire, Hugo Ball, Johannes Baader, Arthur Cravan, Jean Crotti George Grosz, Richard Huelsenbeck,,  Marcel Janco,  Clement Pansaers,  Hans Richter,  Sophie Täuber.

Pesquisar aqui

Frase do dia