terça-feira, 13 de novembro de 2012

SIGNWRITING

A HISTÓRIA DO SIGNWRITING, AS CONFIGURAÇÕES DE MÃOS E OS SÍMBOLOS DE CONTATOS

SignWriting (escrita gestual, ou escrita de sinais) é um sistema de escrita das línguas gestuais e de sinais (no Brasil). O SignWriting é um sistema de escrita em movimento para representação de gestos, aplicado às línguas de sinais, sendo uma notação inventada para escrever “sobre” língua de sinais. Quando diz “escrita de sinais”, muitas pessoas pensam que essa escrita são aqueles formatos das mãos do alfabeto escrito e sinais desenhados no papel. A escrita da língua de sinais foi criada por uma americana Valeree Seetton que em 1974 foi solicitada pela Universidade de Copenhagen a registrar os sinais em vídeo-cassete e criou um sistema para escrever os movimentos das danças do período que ficou conhecido como transição de Dancewriting para SignWriting.
A importância do SignWriting deve-se a sua utilização para codificar os sinais da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), utilizadas pelos sujeitos com surdez. Sutton começou a trabalhar com os surdos, e suas notações gráficas evoluíram para um sistema, o SignWriting, que pode registrar qualquer Língua de Sinais sem passar pela tradução da língua falada. O fato do sistema representar unidades gestuais faz com que ele possa ser aplicado a qualquer língua de sinais, o que enfatiza a sua importância reproduzida na afirmação da autora que expõe claramente que os surdos precisam de uma escrita represente os sinais visuais espaciais com os quais se comunicam, pois não podem aprender bem uma escrita que reproduz os sons que os surdos não conseguem ouvi. Tal afirmação transcorre da necessidade de se empregar significado às palavras e às ações segundo a ótica do próprio aprendiz com surdez.
Sendo assim o SignWriting não se desvincula da LIBRAS, pois a maioria dos alunos que sabem bastante a LIBRAS sentem facilidade para escrever em SignWriting”.
No Brasil, a escrita de língua de sinais teve início em 1996 despertando o interesse de surdos e profissionais que passaram a representar o texto em língua de sinais. Sua importância deve-se a sua utilização para codificar os sinais da Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS, isso não significa que se desvincule desta já que a maioria dos alunos que sabem bastante Língua Brasileira de Sinais tem muita facilidade para escrever em SignWriting de acordo com as pesquisas de Stumpf.
Até agora, as únicas formas de registo das línguas gestuais eram em vídeo, registo que continua a ser uma forma valiosa para a comunidade surda. Porém acrescenta-se, agora, a essa forma, a escrita das línguas, um sistema que mostra a forma das línguas de sinais. Não segue a ordem usual de outros sistemas de escrita, nem a ordem da língua oral do país onde está inserida.
Embora não tenha sido o primeiro sistema de escrita para línguas gestuais, a SignWriting foi a primeira que conseguiu representar adequadamente as expressões faciais e as nuances de postura do gestuante, ou a incluir informações como, por exemplo, se a frase é longa ou curta. É o único sistema que é usado em base regular, por exemplo, para publicar informações universitárias em ASL.
A estrutura do signwriting é composta pela posição das mãos, através dos movimentos e pelo contato. Os movimentos podem ser classificados em duas categorias: movimento de dedos e de mãos.
 As configurações de mão são: punho fechado, punho aberto e mão plana.
A posição é o centro do sinal escrito e os símbolos de movimento e contato estão relacionados a este centro, sendo importante porque elas reforçam o significado do sinal. Os olhos focalizam a posição de contato.
Existem seis formas de representar o contato dos elementos que compõe o sinal, seja mão com mão, mão com corpo, mão com cabeça.
Neste sistema, existem dez grupos de símbolos para as mãos. As mãos são agrupadas de acordo com quais dedos são usados, sendo que esses dez grupos são o começo da “Seqüência de Símbolos Signwriting” que é a ordem dos símbolos usada para procurar sinais em dicionários escritos neste sistema.
1)      Contato: o contato tipo toque é escrito com um asterisco. Toque é definido com a mão gentilmente em contato com outra parte do corpo.
2)      Pegar: o contato tipo pegar é escrito com um sinal de audição. Pegar é definido com a mão pegando uma parte do corpo ou um pedaço da roupa.
3)      Entre:  o contato tipo entre é definido com um asterisco entre duas linhas. Entre é definido com um toque entre duas partes do corpo que passam uma através da outra, geralmente entre os dedos.
4)    Batida: o contato tipo bater é escrito com duas linhas cruzando duas linhas. Bater é definido com a mão fortemente em contato com uma superfície.
5)     Escovar: o contato tipo escovar é escrito com um círculo com um ponto preto no centro. Escovar é definido com um movimento que tem contato e depois sai uma superfície.
6)      Esfregar: o contato tipo esfregar é escrito com um símbolo de espiral. Esfregar é definido como um contato que move, mas permanece na superfície.
A partir dos delineamentos básicos do SignWriting é possível discutir seus contextos e aspectos de utilização social.
Bibliografia:

Pesquisar aqui

Frase do dia