domingo, 5 de dezembro de 2010

Seminário virtual Informática e Sociedade

Na disciplina Identidade e Sociedade apresentamos um seminário virtual, a atividade que fazia parte do processo de desenvolvimento das atividades à distância e aprimoramento dos conteúdos e uso das tecnologias na Educação do Curso de Tecnologia  Educacional na disciplina Informática e Sociedade. Confesso que apresentar um seminário já não é uma coisa fácil e virtual é ainda mais complicado, pois eram colegas que moravam em cidades distantes, onde a grande maioria enfrentava problemas de acesso a internet entre outros, mas valeu a experiência. 
O seminário ocorreu da seguinte forma: Primeiro cada membro da equipe enviaria um texto ao fórum, em seguida os componentes fariam suas observações e finalizando seria escrito um texto único com as idéias de todos que seria apresentado em slides.
Aprendemos bastante.
Objetivos
Adequar a Informática na Sociedade de maneira que as pessoas possam usá-la tirando um bom proveito das mesmas e consigam através das tecnologias ultrapassarem as barreiras, no meio escolar e social.
Propor ações e estratégias que possam beneficiar as pessoas que estão envolvidas no meio educacional proporcionando o desenvolvimento de atividades em que haja o uso as tecnologias para que o conhecimento tecnológico não seja apenas teórico.
 Introdução
O Uso das tecnologias em sala de aula tem chegado acanhadamente, principalmente, nas regiões consideradas mais pobres e menos favorecidas, mesmo assim, já se percebe que há em todas as regiões desse país tão grade e diversificado que se transformou em vários Brasis, a chegada da tecnologia em sala de aula, é bem verdade que ainda sentimos muitas dificuldades em trabalhar com essas ferramentas de trabalho, mas a tendência  do futuro é transformar a sala de aula em verdadeiros laboratórios de conhecimentos diversos, onde se possa atender de maneira prática e eficaz á comunidade escolar. As transformações no fazer educação já são bem visíveis, principalmente, com a abertura que foi dada influenciada pelos meios avançados de comunicação, que, hoje, não haverá mais como esconder a informação, ela está ao alcance de todos. Com essa atividade propomos a implementação das tecnologias em sala de aula onde todos os alunos possam ter um computador ao seu dispor para desenvolver as atividades concomitante com o professor ou à distância, que as salas de aulas sejam equipadas de maneira que o professor possa atender individualmente ao aluno e possa de fato trabalhar suas dificuldades e suas carências.
Os pilares
Para Delors (1999), o exercício pedagógico deve desenvolver quatro aprendizagens fundamentais, que serão os pilares do conhecimento:
Aprender a conhecer – consiste em interessar-se em aprender a apreender que requer abertura para o verdadeiro conhecimento que liberta da ignorância; no prazer de conhecer, compreender, descobrir, construir e reconstruir o conhecimento verdadeiro e pensar o novo, reinventar o pensar.
Aprender a fazer – implica em preparar-se para inserir-se no mercado do trabalho, o que requer que o indivíduo esteja apto para trabalhar em equipe, com iniciativa, intuição, boa comunicação, flexibilidade em espírito e cooperativo, daí a necessidade de atualização e formação continuada do indivíduo.
Aprender a conviver – exige que o indivíduo seja capaz de viver com os outros numa relação de compreensão e troca de experiências, entendimento, comunicação, conhecimento e convivência que exige o respeito a todos e de todos
Aprender a ser – explicita o papel do cidadão e a finalidade do ser.  Incide em desenvolver sensibilidade, ética, estética, responsabilidade, autonomia, imaginação, inventividade, ação, juízo crítico e crescimento integral.
Os saberes
Segundo Morin (2000) os Sete Saberes não se concentram em nenhum dos níveis primário, secundário ou universitário, porém, abordam problemas específicos para cada um deles.
Ensinar a condição - humana é ver o homem como um ser a um só tempo plenamente biológico e plenamente cultural, pois a condição humana é o objeto essencial de todo o ensino.
Enfrentar as incertezas - consiste em preparar as mentes humanas para lidar com o inesperado.
Ensinar a compreensão – implica em estudar a incompreensão, o seu surgimento e suas causas perante a sociedade, levando-a ao princípio da compreensão entre os seres humanos, fator determinante para as relações futuras.
A ética do gênero humano - consiste em formar indivíduos conscientes, éticos e solidários, democráticos e sociais que busquem uma autonomia individual e ao mesmo tempo uma colaboração comunitária.
Com base nesses Saberes sugerimos ações estratégicas que, minimamente, fortaleçam o papel do professor em um mundo globalizado e complexo mediado pelas tecnologias:
Elaborar Projetos  junto ao Governo Federal para que todas as salas de aulas sejam equipadas com computadores, data show, vídeos, internet e todo acervo necessário a um trabalho docente.
Criar estratégias para incorporação de todos os cidadãos que queiram estudar nesse ambiente formador e educativo.
Oferecer opções de escolha que atendam as suas necessidades de todos: cursos, horários, local de estudo,  e modalidades diversificadas  para que o indivíduo possa estudar e ter a sua formação acadêmica.
Modificar o Projeto Político Pedagógico objetivando mudança nos métodos tradicionais de transmissão dos conteúdos e inserindo as TICs direcionadas para   a realidade da comunidade escolar.
 Investir em capacitação e recursos tecnológicos direcionados aos professores que precisam reconstruir seus conhecimentos, refletir suas práticas pedagógicas.
Disponibilizar tempo a atualização profissional daqueles que tem interesse em ampliar e atualizar seus conhecimento.
Valorizar o professor a partir do plano de cargos e carreira.
Envolver o estudante no processo pela busca de resultados e compromisso com a prática.
Proporcionar um processo de auto-aprendizagem e co-responsabilidade no processo de aprendizagem.
Conclusão
Os pilares, os saberes e as competências a serem adquiridos estão associados e estabelecem interação com a finalidade de uma formação holística do indivíduo.  Delors (1999) aponta a necessidade de uma aprendizagem ao longo de toda vida, fundamentada nos pilares do conhecimento e da formação continuada. Deve-se ensinar o indivíduo a ser competente, a pensar, participar, comunicar-se, pesquisar, raciocinar, sintetizar, elaborar teorias e ser autônomo.
Morin diz que os sete saberes dizem respeito aos sete buracos negros da educação: o conhecimento, o conhecimento pertinente, a identidade humana, a incerteza, a condição planetária e a antropo-ética que são completamente ignorados, subestimados ou fragmentados nos programas educativos. E que, esses programas deveriam ser o centro das preocupações sobre a formação dos jovens. Ele apresenta os Saberes como ponto de partida para se repensar a educação do século XXI: o conhecimento, o conhecimento pertinente, a identidade humana, a incerteza, a condição planetária e a antropo-ética.
O momento atual pelo que passamos é muito importante, é o momento de ação por educação e exige que sociedade e instituições, mobilizem-se no atendimento a essa urgência nacional. Há teoria, idéias e material, mas é preciso pôr em prática todo conhecimento e projetos de modernização da educação para possamos mudar a história. É necessário ultrapassar as barreiras que impedem o crescimento, entender o contexto em que se vive, ter visão crítica, ser o sujeito da própria história, lutar por uma sociedade justa e igualitária, cultivar a solidariedade, exercitar a cidadania plena e, acreditar no poder transformador da educação.
Referências
DELORS, Jacques. Educação: Um Tesouro a Descobrir (UNESCO, MEC, Cortez Editora, São Paulo, 1999. Disponível em:< http://www.serprofessoruniversitario.pro.br/ler.php?modulo=10&texto=539>
MORIN, Edgar – Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro.  Boletim da SEMTEC – MEC. Boletim informativo Eletrônico da Secretaria de Educação Média e Tecnológica – Ano 1 – Ano 4 – junho/julho 2000. Disponível em: <http://www.centrorefeducacional.com.br/setesaberes.htm>

Pesquisar aqui

Frase do dia