Seguidores

Google+ Followers

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Resumo de Arte



Arte e Ciência
Primeira metade do século XX:
Com o avanço da ciência surge a industrialização, criticada por uns e elogiada por outros.
Crítica: a tecnologia que traz o progresso e inúmeros benefícios é a mesma que traz a guerra produzindo armas poderosas e sofisticadas e muitos artistas propõem questionamentos sobre esse tema.

Arte é Ciência porque partiu da necessidade do homem de se expressar e de conhecer cada vez mais. Por serem antagônicas, arte e ciência podem criar uma relação mútua na qual uma complementa a outra.

Diferença entre SOM e RUÍDO
Som: Fenômeno físico que consiste em uma rápida variação de uma onda de pressão num meio.
Ruído: Qualquer som que nos é desagradável.

Pintura Futurista
1) Futuristas produziram dois manifestos - 1910:
Os jovens artistas italianos propunham o fim da arte do passado, pois a valorização do passado conduzia a depreciação do novo.
Os futuristas queriam:
A destruição do culto ao passado;
Dar lugar aos jovens e ao novo;
Exprimir a vida incessantemente transformada pela ciência;
Extinguir os temas já aproveitados;
O desprezo às imitações exaltando a originalidade;
Rebelar-se contra a tirania das palavras.

2)  Manifesto Técnico:
Tema: expressão pictórica.
As cores e formas tradicionais não mais satisfaziam aos futuristas, cujo interesse estava voltado para o movimento, a imagem dinâmica, pelo progresso, pela ciência, pela representação do novo ritmo de vida ocasionado pelo surgimento de máquinas, eletricidade e velocidade.

Futurismo Musical:
A sonoridade que melhor expressava o mundo moderno era a música dos ruídos, da agitação da cidade.

Saraus Futuristas:
Espetáculos teatrais onde os artistas improvisavam, recitavam poesias, declamavam textos, faziam manifestos, executavam peças musicais e exibiam obras visuais.
As declamações provocativas e a interação do público causavam, às vezes, divergências e tumultos entre artistas e espectadores e algumas vezes a polícia precisava apaziguar os conflitos.

Dois movimentos marcaram o Teatro Futurista :
1) O Teatro de Variedade – 1913:
Buscava o rompimento das regras do teatro tradicional. Os futuristas foram atraídos pela comicidade, pela combinação do teatro com cinema, música, circo e dança.
Não seguia um roteiro fixo e o público era forçado a interagir com atores e músicos, desafiando as convenções. Propunha encenar toda a tragédia em uma única noite.

2)  Manifesto do Teatro Futurista Sintético:
O teatro seria a forma de influenciar a alma italiana, pois os futuristas não desejavam existir somente nas estantes de bibliotecas. Desejavam ser uma forma teatral breve, totalmente nova. E a brevidade também aconteceria na preparação.

Dadaísmo

Durante a Primeira Guerra Mundial, muitos intelectuais e artistas foram para Zurique para refugiar-se da guerra ou para estudar. Dentre os quais estavam:
Hugo Ball que criou o “Cabaré Voltaire”, espaço disponibilizado aos artistas. No cabaré de Voltaire aconteciam os saraus que lembravam os saraus futuristas, pois declamavam e interpretavam poemas, tocavam canções e apresentavam suas performances.
Os frequentadores do cabaré criaram o movimento artístico dadaísta, o mais radical da história da arte.  
O Dadá negava os costumes, as regras e tradições, inclusive a tradição da arte.
Foi uma vertente antiartística de expressão que chocou, escandalizou.
Tristan Tzara escolheu a palavra “dada” ao acaso no dicionário e não sem nenhum significado expresso, simbolizando a revolta e a negação do movimento. Ele queria expressar a negação de todos os valores estéticos e correntes artísticas e a insatisfação de todos eles com o cenário de destruição causado pela guerra e por isso, abusaram do incompreensível.

Características

  • Caráter antirracional (contra os padrões estabelecidos) - “non-sense” - sem sentido
  • Problema: Almejar algo impossível como explicar o ser humano.
  • Espalhou-se em poucos anos por: Berlim, Paris, Nova Iorque, etc.
  • Movimento artístico da vanguarda moderna que antecede o Surrealismo
 Duchamp e o ready-made

Marcel Duchamp polemizou  com a sua invenção ready-made que consiste em apropriar um objeto  utilitário produzido industrialmente, inserindo-o no contexto artístico. Do ponto de vista artístico, dependendo do contexto e do ambiente em que é inserido, o objeto pode assumir diferentes significados. O objetivo de Duchamp não era se colocar contra a arte nem apenas destruir a tradição. Ele queria discutir questões novas sobre o produto artístico. Com o ready-made, ele rompe a tradição do autor como único criador da obra.

O estúdio de gravação e a indústria comercial

A evolução da compreensão dos fenômenos sonoros e de sua propagação no espaço resultou na invenção de equipamentos pioneiros de síntese sonora. Processo que se consolidou com a criação e o desenvolvimento de novos equipamentos que deram origem ao estúdio de gravação, onde se produzia música em grande escala com finalidade comercial

Música Eletroacústica
Nos anos de 1940 e 1950 engenheiros e músicos franceses, alemães e estadunidenses deram início à  criação obras musicais por meio da manipulação em estúdio de sons gravados e sintetizados em  3 vertentes:
1) Música concreta que usava apenas sons do cotidiano, sons já existentes.
2) Música eletrônica que usava sons construídos e manipulados, sons artificiais.
3) Música eletroacústica que usava  e manipulava os sons concretos e artificiais simultaneamente.

Indústria Cultural
A produção industrial passou a ser aplicada na arte, cuja produção artística passou a ser explorada comercialmente e valorizada conforme seu retorno financeiro.
A transmissão de ideologias nos filmes de Hollywood que propagavam o modo de vida americano “American way of life” contribuíram para o consumismo das obras arte. Fato que se tornou objeto de reflexão de filósofos da Escola de Frankfurt, entre os quais, Adorno e Horkheimer cunharam o termo “indústria cultural” para designar e avaliar o funcionamento e as consequências para a humanidade desse tipo de relação com a arte.

Fonte:

sábado, 3 de setembro de 2016

Ópera do Malandro - Chico Buarque ( Filme Completo)

A história se passa nos anos 1940. O malandro, figura elegante e popular do boêmio bairro carioca da Lapa, explora a cantora de cabaré e vive de pequenos trambiques. Mas surge Ludimila, filha do dono do cabaré, que tenta tirar proveito da situação fazendo contrabando...

Geni e o Zepelim - da Ópera do Malandro



Geni e o Zepelim
Chico Buarque de Holanda
De tudo que é nego torto
Do mangue e do cais do porto
Ela já foi namorada
O seu corpo é dos errantes
Dos cegos, dos retirantes
É de quem não tem mais nada
Dá-se assim desde menina
Na garagem, na cantina
Atrás do tanque, no mato
É a rainha dos detentos
Das loucas, dos lazarentos
Dos moleques do internato
E também vai amiúde
Com os velhinhos sem saúde
E as viúvas sem porvir
Ela é um poço de bondade
E é por isso que a cidade
Vive sempre a repetir
Joga pedra na Geni!
Joga pedra na Geni!
Ela é feita pra apanhar!
Ela é boa de cuspir!
Ela dá pra qualquer um!
Maldita Geni!
Um dia surgiu, brilhante
Entre as nuvens, flutuante
Um enorme zepelim
Pairou sobre os edifícios
Abriu dois mil orifícios
Com dois mil canhões assim
A cidade apavorada
Se quedou paralisada
Pronta pra virar geleia
Mas do zepelim gigante
Desceu o seu comandante
Dizendo: "Mudei de ideia!"
Quando vi nesta cidade
Tanto horror e iniquidade
Resolvi tudo explodir
Mas posso evitar o drama
Se aquela formosa dama
Esta noite me servir
Essa dama era Geni!
Mas não pode ser Geni!
Ela é feita pra apanhar
Ela é boa de cuspir
Ela dá pra qualquer um
Maldita Geni!
Mas de fato, logo ela
Tão coitada e tão singela
Cativara o forasteiro
O guerreiro tão vistoso
Tão temido e poderoso
Era dela, prisioneiro
Acontece que a donzela
(E isso era segredo dela)
Também tinha seus caprichos
E ao deitar com homem tão nobre
Tão cheirando a brilho e a cobre
Preferia amar com os bichos
Ao ouvir tal heresia
A cidade em romaria
Foi beijar a sua mão
O prefeito de joelhos
O bispo de olhos vermelhos
E o banqueiro com um milhão
Vai com ele, vai, Geni!
Vai com ele, vai, Geni!
Você pode nos salvar
Você vai nos redimir
Você dá pra qualquer um
Bendita Geni!
Foram tantos os pedidos
Tão sinceros, tão sentidos
Que ela dominou seu asco
Nessa noite lancinante
Entregou-se a tal amante
Como quem dá-se ao carrasco
Ele fez tanta sujeira
Lambuzou-se a noite inteira
Até ficar saciado
E nem bem amanhecia
Partiu numa nuvem fria
Com seu zepelim prateado
Num suspiro aliviado
Ela se virou de lado
E tentou até sorrir
Mas logo raiou o dia
E a cidade em cantoria
Não deixou ela dormir
Joga pedra na Geni!
Joga bosta na Geni!
Ela é feita pra apanhar!
Ela é boa de cuspir!
Ela dá pra qualquer um!
Maldita Geni!
Joga pedra na Geni!
Joga bosta na Geni!
Ela é feita pra apanhar!
Ela é boa de cuspir!
Ela dá pra qualquer um!
Maldita Geni!

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

John Cage - Sonata II para Piano Preparado


Piano preparado é aquele que teve o som alterado pela colocação de objetos entre cordas. 

John Milton Cage Jr. foi um compositor, teórico musical, escritor e artista dos Estados Unidos. 
Sua obra mais conhecida  é 4′33″, composto em 1952. 
Pioneiro da música aleatória, da música eletroacústica, do uso de instrumentos não convencionais, bem como do uso não convencional de instrumentos convencionais, sendo considerada uma das figuras chave nas vanguardas artísticas do pós-guerra.
De acordo com a crítica foi um dos mais influentes compositores estadunidenses do século XX, sobretudo, por sua parceria com o coreógrafo Merce Cunningham.

Estudou com Henry Cowell (1933) e Arnold Schoenberg (1933–1935), ambos conhecidos por suas inovações radicais na música. Contudo, a maior influência de Cage vem da Ásia quando na década de 1950 conheceu I Ching, o livro das mudanças (ou mutações), que é um dos mais antigos textos chineses.
 O I Ching, tornou-se uma importante ferramenta de composição para Cage pelo resto da sua vida.
Em uma conferência em 1957 sobre música experimental, ele descreveu a música como "um jogo sem propósito, que é uma afirmação da vida - não uma tentativa de trazer a ordem no caos nem sugerir aperfeiçoamentos na criação, mas simplesmente um jeito de acordar para a vida"

Fontes:
 https://www.youtube.com

Pesquisar aqui

Frase do dia